terça-feira, 4 de maio de 2010

A culpa não é só da comunicação


"Será que nós, publicitários, não somos apenas uma amostra grátis do mundo, com seus defeitos e qualidades?"

Vi essa frase em um texto na Casa do galo (http://casadogalo.com/sexo-internet-e-downloads-gratis) e ele me deixou matutando.
O texto trata de um assunto que faz os profissionais da comunicação pensaram qual sua função e em como somos vistos pela sociedade.
Publicitário é aquele cara que deve saber de tudo um pouco pra fazer com que o produto do seu cliente seja visto pelo seu consumidor tal como ele é. E claro, sem ofender a moral e os bons costumes de cada um. Caso fuja dos padrões (que cada um julga certo), arcamos com as consequências.
Se tem uma coisa que me deixa nervosa é como as pessoas gostam de falar mal de publicitários. Acho que ta pra existir profissão que exija paixão maior do que a nossa. O desgaste é grande, o salário é baixo (fora do eixo Rio – São Paulo), o tempo é curto, o retorno tem que ser obrigatório e a satisfação garantida. Então, é bom pular miúdo pra conseguir todos esses itens e sem deixar a ética de lado.
Da mesma forma que existem publicitários antiéticos, também vemos médicos, advogados, professores, jornalistas, veterinários e toda infinidade de profissões. A única diferença é que a profissão publicitária tem maior visibilidade e repercussão. Afinal de contas, estamos no meio da massa. Nós temos “juízes” bem atentos em cada domicilio.
Quando dizem que o problema é a forma de divulgação ou a mensagem embutida em uma peça dou a mesma resposta de sempre: cada pessoa deve saber discernir o certo do errado e do que é essencial ou não.
Se você tem um bom julgamento vai saber distinguir o que vê e o que ouve. As pessoas devem ter uma visão mais crítica da coisa como um todo e assim dar uma opinião conforme seus conceitos (não os conceitos dados pela sociedade).
Portanto, não me venha com xurumelas e nem diga que a propaganda induz ao consumo em excesso. A publicidade de verdade não é enganosa nem abusiva, cria conceitos, diverte e sim, gera desejos.
Eu só acredito em uma coisa: a culpa não é só da comunicação! Aprenda a ver a coisa como um todo e não apenas um 1/4 da história.

9 comentários:

  1. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
  2. ótima Reflexão.
    Chegamos a conclusão que um copo de cerevja não sabe dirigir e muito menos causar um acidente.

    ResponderExcluir
  3. huahauhauha.. Muito bom amiga!
    Sempre defendendo a nossa espécie!

    ResponderExcluir
  4. Acho que o ponto crucial de tudo é o bom senso. Bom senso do publicitário na hora de criar uma campanha e bom senso de quem a absorve.

    Hoje em dia tá tudo muito exagerado e as pessoas estão perdendo esse bom senso.

    E uu só não gosto de publicitário quando ele acha que é designer.

    ResponderExcluir
  5. Falou e disse dona Stéphane! Concordo plenamente! Abraço! :)

    ResponderExcluir
  6. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  7. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  8. Sim, ninguém é santo. Mas o fato é que é mais fácil julgar os publicitários ao invés de tentar entender a coisa como ela é; com todas as pessoas que estão por trás de uma campanha. E é isso que me deixa nervosa.
    Somos sim responsáveis por muita porcaria que veicula por ai. Por isso eu digo que é dever de cada profissional trabalhar com ética e que não é certo julgar a profissão como um todo.

    ResponderExcluir
  9. Concordo plenamente. E cito uma expressão "xulinha", mas verdadeira: "Cão que come cacto sabe o c* que tem."
    Resumindo... não é nossa culpa, ehehehehe.

    ResponderExcluir